Ponto de vista

19/05/2010 16:57

Quando somos crianças, nas maiorias das vezes, nossos pais são como super-heróis. Mas o tempo passa e começamos a ver filmes, conhecer outras pessoas, nossos pais não são mais tão “super” e começamos a sentir um vazio no peito que nos faz ir atrás de conhecimentos e experiências próprias. O que nos cega para o que pode não ser verdade contudo aceitável e assim começamos a nos envolver em certas mentiras e trapaças do mundo sem ao menos percebermos. Então terminamos a escola, alguns iniciam no mercado de trabalho outros seguem rumo ao ensino superior, é a partir deste ponto em que tomamos as decisões que terão maior impacto daqui pra frente. Esquecemos o que realmente é importante e ficamos a deriva de influencias do mundo. Pouco sabemos e muito há para aprender. Aprendemos um pouco mais a cada dia e assim continuamos a crescer. Para mim, o sentido da vida está muito intimamente relacionado a aprender e evoluir constante, e na medida em que for possível auxiliando outros irmãos a fazê-lo, especialmente quando se trata de aprender sobre o ser humano, a palavra, o amor e a vida. Dando assim um sentido para a vida. Por isso vejo que compreender e administrar nossas emoções, sentimentos e nossas relações com outras pessoas são uma tarefa essencial de cada pessoa em seu caminho de evolução pessoal e espiritual, afinal muitos esquecem que caixão não tem gaveta e dessa passagem aprendizagem é a única bagagem levada. Sempre temos que nos lembrar que existe mais de um ponto de vista e várias opiniões sobre muitos assuntos, mas como sempre precisamos de um ponto de partida para que consigamos contestarmos as coisas do mundo, e uma vez que é para termos um ponto de partida porque não usar Deus em conjunto com nossos familiares e amigos como pedra fundamental. Leia este trecho dum texto que encontrei um dia desses.

“Um grupo de cinco cegos de nascimento desejava saber como era um elefante. Um tocou a cabeça do animal e disse que era como uma grande cuba; outro tateou a tromba do animal e disse que se parecia com uma serpente; o terceiro sentiu as presas e afirmou que era igual às grades de um arado; outro mais, que tocara o lombo, disse que era como um prédio; e outro tateou a barriga e disse que era uma grande bola redonda. Cada um havia percebido um detalhe. Discutiram por algum tempo e depois chegaram a conclusão de que o elefante não era o que cada um tinha percebido. Era, na verdade a soma da percepção de todos eles.”

E acredite, um dia você vai brigar com quem você gosta, com quem você ama. Por um tempo irá acreditar plenamente que a razão é sua, mas com o passar do tempo perceberá que não tinha completamente razão. Concluindo evite brigar com quem você gosta é claro, mas quando brigar tende controlar o que falar porque as palavras podem ferir mais profundamente do que uma lamina.

“Em uma discução sempre a três pontos de vista: o seu, do outro e o correto.” - Fritz Perls

Leitura do post... Fl 4,1-9

 cross.gif (10456 bytes)